4 de jun de 2010

O Martelo e o Cinzel de Deus.


"Quem pode discernir os próprios erros? Purifica-me tu dos que me são ocultos" (Salmos 19:12).

Conta-se sobre um homem que tinha, no meio de seu jardim,
uma enorme pedra. Ele já estava cansado de vê-la ali, sem
nenhum atrativo, tirando a beleza de suas flores.

Tomou a decisão de usar aquela pedra como objeto de arte e, pegando
um martelo e um cinzel, começou o seu trabalho. Bateu aqui,
tirou uma lasca ali e, em pouco tempo, a enorme pedra se
transformou em um belo elefante que passou a servir de
adorno para aquele jardim.

Um vizinho, vendo a obra magnífica terminada, perguntou a ele: "Como você conseguiu
esculpir um elefante tão maravilhoso?" A sua resposta foi:
"Eu apenas fui retirando tudo aquilo que não parecia com um
elefante!"

Se estamos cansados de nossa vida monótona, fútil e sem
atrativos; se nos sentimos parados e incapazes de produzir
qualquer coisa interessante; se o brilho e a alegria que
gostaríamos de proporcionar a nós mesmos e ao nosso próximo
está longe de ser real, é hora de deixar o martelo e o
cinzel de Deus começar a remover tudo aquilo que não parece
com uma vida feliz e vitoriosa.

O maior adorno de uma vida é o amor. Se em nossas atitudes
existem ainda o ódio, a inveja, o preconceito, desejos de
vingança e qualquer outro sentimento que impeça o brilho do
amor em nós, peçamos ajuda a Deus para que, sem demora,
sejam retirados e lançados fora.

Se o brilho da compreensão e da generosidade estiverem sendo
cobertos pelo egoísmo, por intrigas e maledicências,
deixemos Deus remover estas lascas de pecado para que a
beleza de nossa vida cristã possa servir de enfeite no
jardim de Sua graça salvadora.

Que todas as lascas de antipatia, mau-humor, indiferença e
insensibilidade sejam lançadas para bem longe da escultura
espiritual que Deus deseja formar através de nosso
testemunho pessoal. Certamente Jesus será glorificado pelo
resultado deste maravilhoso trabalho.

Fonte:internet(Paulo Roberto Barbosa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário