30 de abr de 2011

  ...criança é tudo mesmo!Sou apaixonada por elas!

21 de abr de 2011

NADA ALÉM DO SANGUE DE JESUS...
Que nesta semana intitulada como "Semana Santa" você possa entender que a santidade não está relacionada a dias, onde reservam-se horas e minutos para uma renúncia passageira de hábitos ruins, mas precisamente a uma vida de entrega, totalmente completa, sem reservas que se submete ao Senhorio de Cristo, que se torna dependente do seu amor e que aprende a trilhar os caminhos oferecidos por Ele.

JESUS...O SEU SANGUE PURO E INOCENTE QUE FOI DERRAMADO NAQUELA CRUZ HÁ MAIS DE 2000 MIL ANOS, NOS TORNA LIMPOS E DIGNOS DE SERMOS CHAMADOS SEUS FILHOS! A cruz não pode detê-lo, porque o seu amor foi muito mais forte. E esse amor ainda vive!
Ele não está morto, mas ressuscitou, para que tivéssemos vida e vida em abundância! Amém!

11 de abr de 2011

Deus, me ajude a suportar...tem dias que parece impossível. A dor se torna maior que a esperança.Saudades pai,saudades do meu pai...:(
Contigo Senhor eu posso suportar!
As dores, as aflições, as lutas e tribulações. 
O teu poder se aperfeiçoa na minha fraqueza!

http://www.youtube.com/watch?v=SpFh1xb-lyg

O Canto Coral Luterano e os 250 anos sem Bach




Antes de mais nada, precisa-se dizer que até a reforma luterana a comunidade que se reunia em culto não podia cantar nada além do refrão Kyrieleis (Tem piedade de nós Senhor).Sócantavam no culto os coros de religiosos (padres, monges e aspirantes) que cantavam em línguas que o povo não entendia. Também o culto era todo feito em latim e a comunidade não entendia quase nada do que estava acontecendo no culto. 
 
Lutero estava convicto de que o povo precisava entender o que se dizia no culto, por isso ele passou a celebrar cultos na língua do povo (no caso dele a língua alemã). Lutero também traduziu a Bíblia para o alemão, para que o povo pudesse ler o que ali estava escrito (até então só os religiosos que estudavam Latim, Grego e Hebraico tinham acesso ao testemunho bíblico). E junto com a reforma do culto Lutero e os seus companheiros começaram, logo, a compor hinos que o povo pudesse cantar, com a ajuda do coro. Assim como é importante que a comunidade possa ler a Bíblia, assim também é importante que, com a ajuda do canto, a comunidade aprenda e possa expressar a sua fé. Por isso os músicos evangélico-luteranos dão muita atenção para o texto dos seus cantos e não querem que eles tenham só uma melodia bonita, mas também um bom conteúdo. Dessa forma, do meio luterano surgiram grande músicos que se preocuparam em louvar a Deus por meio de sua música.

Lembramos especialmente de um destes grandes músicos evangélico-luteranos; há 250 anos falecia Johann Sebastian Bach (1685-1750). Bach transmitia o Evangelho por meio de suas músicas; meu pai me disse certa vez que Bach é o quinto evangelista, tal a importância de sua obra. Talvez muitos de vocês conheçam J. S. Bach por terem ouvido “Jesus alegria dos homens”, um de seus corais mais conhecidos. Também a melodia do hino de Paul Gerhardt “Ao pé da manjedoura estou” (HPD-26) é de Bach.

Para a gente conhecer melhor Johann Sebastian Bach nada melhor do que ouvir o que Anna Madalena, sua segunda esposa, disse sobre ele:

“Meu marido era um homem difícil de se conhecer. Se desde o primeiro instante eu não o tivesse amado, certamente nunca o teria compreendido. Muito reservado, não se dava a conhecer por palavras, mas pela sua atitude e, naturalmente, pela sua música. Eu nunca tinha visto um homem tão religioso (...). No fundo de seu grande coração ele trazia sempre a imagem do Crucificado, e a sua música mais elevada é o grito desse desejo da morte que lhe dava a visão do seu Senhor ressuscitado”.

Nessa descrição podemos conhecer um homem que procurou viver a sua fé no dia-a-dia e anunciá-la por meio de sua música. Sua inspiração esteve na cruz de Cristo, no amor incomparável de Deus por nós.

Bach via na música um forte meio de celebrar a fé e de dar glória a Deus; era um luterano convicto, profundamente religioso, e como tal não admitia celebração sem canto. Nos hinos e corais que ele compunha sempre escrevia no pé da página “Soli Deo Gloria” – Somente a Deus seja dada a Glória. Bach tinha de compor uma cantata para cada domingo do ano da Igreja e fazia isso depois de ter estudado o texto bíblico sobre o qual o pastor iria pregar. Bach também foi um dos primeiros regentes de coro que tinha em seu coral uma mulher e isso uma vez lhe custou o emprego (até então só existiam coros de meninos e homens). Também é interessante saber que um músico hoje tão famoso como Bach não freqüentou a universidade, ao contrário da maioria dos seus colegas.

O último coral que Bach, bastante adoentado, ainda ditou a um dos seus alunos, aos 65 anos, tem o título: “Senhor, Eis-me Diante do Teu Trono”.

Com Lutero e Bach nós podemos nos alegrar e orgulhar pela bonita história da música e da tradição do canto coral que, assim como o conhecemos hoje, teve seu início no meio evangélico-luterano. O coral tem seu espaço no culto de nossas comunidades como facilitador da música. Em nossa Igreja o coral não está aí só pra cantar sozinho a mais vozes, mas fundamentalmente para ajudar a comunidade a cantar, ensinado e acompanhando-a em seu canto.

P. Claus Martin Dreher

9 de abr de 2011

30 Pensamentos Diários - 5º dia



por Max Lucado

Deus é capaz de realizar, prover, ajudar, salvar, manter, controlar...

Ele é capaz de fazer aquilo que você não pode. Ele já tem um plano. Deus não é confuso.

Vá até Ele.

Você Pode Vencer a Preocupação


 “…não andeis… ansiosos quanto ao dia de amanhã...” – Mateus 6:34 AMP
A maioria das coisas com as quais nos preocupamos nunca acontece ou sai melhor do que esperávamos. A preocupação, assim como a fé, é uma força espiritual. Como um imã, ela atrai exatamente as coisas que tememos, encobre a nossa capacidade de julgamento e distorce a nossa perspectiva. Deus nunca pretendeu que levássemos as cargas de amanhã junto com as de hoje. Portanto, eis três passos para ajudá-lo a vencer a preocupação: 
 1) Substitua-a. Dizer a alguém para não se preocupar não funciona. A preocupação é como um espasmo emocional; a única maneira de quebrá-la é substituindo-a. “Tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, pensem nessas coisas” (Filipenses 4:8 NVI). Em outras palavras, troque de canal!
2) Disseque-a. “...o medo produz tormento...” (1 João 4:18 NKJV). A preocupação atormenta você; a sua imaginação enlouquece, invocando todo tipo de situações apavorantes. Mas ela também é anti-lógica; quando você a analisa racionalmente e de forma sistemática, ela perde o seu poder de controlá-lo. 
3) Coloque-se acima dela. Um pastor famoso estava voando sobre o Rio Mississipi um dia quando o céu ficou escuro. “Não podemos ver para onde estamos indo!” exclamou ele. Calmamente, o piloto respondeu: “Só precisamos subir acima do calor, da poeira e da fumaça do solo”. Depois de subir mais 1.000 pés eles emergiram em um mundo claro e lindo. Corrie Ten Boom chamou a fé de “o radar que rasga o nevoeiro”. Quando a preocupação tentar colocar um nevoeiro ao seu redor, você pode subir acima dela colocando a sua confiança no Senhor. “...os que confiam no Senhor... voarão... como águias...” (Isaias 40:31 NLT).

Fonte:www.palavraparahoje.com.br

7 de abr de 2011


 

A pedra

O distraído nela tropeçou...
O bruto a usou como projétil.
O empreendedor, usando-a, construiu.
O camponês, cansado da lida, dela fez assento.
Para meninos, foi brinquedo.
Drummond a poetizou.
Já, Davi, matou Golias, e Michelangelo extraiu-lhe a mais bela escultura...
E em todos esses casos, a diferença não esteve na pedra, mas no homem!
Não existe "pedra" no caminho que você não possa aproveitá-la para o seu próprio crescimento independente do seu tamanho. 

Os problemas existem para nos ajudar a amadurecer, não para nos desanimar ou nos fazer sentir incapazes. Você sempre será um vencedor se não se deixar parar por causa das pedras que interferem o seu caminho!Deus sempre estará no controle de todas as coisas!

 Autor desconhecido

5 de abr de 2011

Ficar... é uma atitude correta entre cristãos?


O namoro sempre existiu em diversas culturas através dos tempos. É a forma de duas pessoas se conhecerem melhor e, com mais intensidade, alguém com quem se pretende ter um relacionamento sério com vistas ao casamento. Mas, atualmente, para muitos jovens o namoro convencional perdeu status. Não é de agora, por exemplo, que os jovens usam o termo “ficar”. 

A expressão surgiu na década de oitenta entre os adolescentes de 13 aos 17 anos que buscavam simplesmente o prazer sem qualquer perspectiva de compromisso. Ou seja, é um comportamento em que os jovens conversam, se beijam, se abraçam e até têm relação sexual, sem nenhuma responsabilidade pós-encontro. Não há nenhum vínculo emocional, afetivo,espiritual e, muito menos, trocas de endereço e telefone.
O “ficar” é uma armadilha do Diabo para o pastor Gilson Bifano, diretor e conferencista do Ministério Oikos (Ministério Cristão de Apoio à Família) esta prática não deve ser seguida pelos jovens cristãos. “Se ele tem um compromisso com Deus e encara o seu corpo, a sua sexualidade, como a Palavra diz, ele não vai ter esse comportamento. Devemos ser diferentes; sal e luz do mundo", enfatiza o pastor.

Na visão dele, o “ficar” é uma estratégia de Satanás para minar a pureza moral da juventude, neutralizar seu testemunho, e, posteriormente, estragar seus lares. “O diabo utiliza vários métodos para levar o homem ou a mulher a uma relação sexual fora dos padrões de Deus. A Bíblia diz : “Não vos defraudeis uns aos outros”. Defraudar é passar dos limites da intimidade com uma outra pessoa que não seja o seu cônjuge.

O texto declara que o sexo é para ser desfrutado entre o homem e a mulher no contexto do casamento. E o ficar, conhecido antigamente como o arrocho, é uma fonte de excitação, em que beijos ardentes e carícias em partes íntimas são praticados. Dificilmente, um jovem conseguirá ter uma vida de santidade em um relacionamento passageiro, sem um peso de responsabilidade e compromisso, enfatiza. 

A juventude precisa de santidade Segundo Bifano, há uma grande diferença entre pureza e virgindade, já que alguns adolescentes se guardam para o casamento, mas mantêm outras práticas sexuais. Em contrapartida, existem pessoas que "perdem a virgindade" e, depois de se converterem, se arrependem e evitam a intimidade antes do casamento. Para o pastor, a juventude cristã precisa repensar a sua atitude em relação ao namoro, ao noivado e ao casamento, não segundo a ótica do mundo que está sem Deus, mas dentro de uma visão bíblica equilibrada. 

“O tempo todo a televisão, o rádio, os jornais, as revistas, as músicas, as novelas e os filmes veiculam campanhas de incentivo ao sexo com o uso da camisinha. O importante não é ter relação sexual antes do casamento, mas sim a falta do preservativo. Com isso, os jovens estão absorvendo esta visão não cristã da sexualidade. É necessário influenciar mais e ser menos influenciado”, comenta Bifano. 
As conseqüências do “ficar”A proposta do “ficar”é levar esta geração a experimentar um pouco do outro de uma forma leviana.
Além de gerar traumas, frustrações, decepções e até uma gravidez precoce. Segundo Gilson, os pais têm uma parcela de culpa nisso, já que muitos não orientam seus filhos. A questão da informação não é só da igreja, nem da escola. O que tem acontecido hoje é que a família tem transferido sua responsabilidade, e o resultado disso é uma vida sexual fora dos parâmetros bíblicos. Esta tarefa tem que começar em primeiro lugar na família.
E os pais devem estar capacitados para que haja um diálogo franco, contínuo e sem tabus. “Três coisas não são faladas muito em família: morte, dinheiro e sexo. Estes assuntos devem ser tratados no lar, de maneira natural, não apenas em forma de sermões, mas em uma conversa natural com os filhos desde cedo, sempre respeitando, é claro, as faixas etárias", alerta Gilson.O Namoro CristãoGilson Bifano acredita que existem princípios para o namoro cristão. E um deles é justamente o não "ficar”. 

Um relacionamento segundo a visão cristã é um período de conhecimento mútuo, de aprofundamento da amizade. "A intimidade física não é compatível neste período. Ela só deve acontecer, segundo a Palavra de Deus, no contexto do casamento", enfatiza Gilson. "O texto de Gênesis 2.24 diz: Portanto, deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-à à sua mulher, e serão ambos uma só carne. Neste trecho existe uma seqüência. 

Quando se tem esta experiência de ser uma só carne, antes de se casar, há quebra de princípio bíblico. E isso pode, e tem trazido, muitos problemas", relata o pastor. A Igreja e seu papel Na opinião dele, os pastores precisam falar mais sobre este assunto, sem condenação. “A igreja tem que parar de apenas dizer que é proibido, mas também educar. Dar condições aos jovens para que eles não façam o que é condenado pela Palavra de Deus. 

É necessário um trabalho de conscientização em que a juventude seja esclarecida das conseqüências que advêm da quebra dos preceitos bíblicos. Isso pode ser feito através de palestras, congressos etc.", adverte. Para os jovens cristãos que estão na moda do “ficar”, o pastor dá alguns conselhos:

1- Repense no que Deus tem para sua vida.
2- Se está se relacionando indevidamente com alguém, deve reconhecer que esta não é a vontade de Deus e parar com tal atitude.
3- Deus perdoa nossos pecados. Ele morreu na cruz para perdoar os erros da humanidade. E, com certeza, a partir deste reconhecimento, Deus vai honrar e abençoar os seus caminhos.

Texto de Eliane Canegal

Twila Paris/God is in control

...tudo está debaixo do seu controle!

A brasa solitária


Juan ia sempre aos serviços dominicais de sua congregação. Mas começou a achar que o pastor dizia sempre as mesmas coisas, e parou de frequentar a igreja.

Dois meses depois, em uma fria noite de inverno, o pastor foi visitá-lo.
“Deve ter vindo para tentar convencer-me a voltar” pensou Juan consigo mesmo. Imaginou que não podia dizer a verdadeira razão: os sermões repetitivos. Precisava encontrar uma desculpa, e enquanto pensava, colocou duas cadeiras diante da lareira, e começou a falar sobre o tempo.
O pastor não disse nada. Juan, depois de tentar inutilmente puxar conversa por algum tempo, também calou-se. Os dois ficaram em silêncio, contemplando o fogo por quase meia-hora.

Foi então que o pastor levantou-se, e com a ajuda de um galho que ainda não tinha queimado, afastou uma brasa, colocando-a longe do fogo.
A brasa, como não tinha suficiente calor para continuar queimando, começou a apagar. Juan, mais que depressa, atirou-a de volta ao centro da lareira.
- Boa noite – disse o pastor, levantando-se para sair.
- Boa noite e muito obrigado – respondeu Juan. – A brasa longe do fogo, por mais brilhante que seja, terminará extinguindo rapidamente.

“O homem longe dos seus semelhantes, por mais inteligente que seja, não conseguirá conservar seu calor e sua chama. Voltarei à igreja no próximo domingo.”

Eu aprendi...

Eu aprendi...
Que deveríamos ser gratos a Deus por não nos dar tudo que lhe pedimos;
Que debaixo da "casca grossa" existe uma pessoa que deseja ser apreciada, compreendida e amada;
Que Deus não fez tudo num só dia; o que me faz pensar que eu possa ?
Que ignorar os fatos não os altera;
Que quando você planeja se nivelar com alguém, apenas esta permitindo que essa pessoa continue a magoar você;
Que o AMOR, e não o TEMPO, é que cura todas as feridas;
Que a maneira mais fácil para eu crescer como pessoa é me cercar de gente mais inteligente do que eu;
Que ninguém é perfeito até que você se apaixone por essa pessoa;
Que a vida é dura, mas eu sou mais ainda;
Que as oportunidades nunca são perdidas; alguém vai aproveitar as que você perdeu.
Que quando o ancoradouro se torna amargo a felicidade vai aportar em outro lugar;
Que devemos sempre ter palavras doces e gentis pois amanhã talvez tenhamos que engoli-las;
Que não posso escolher como me sinto, mas posso escolher o que fazer a respeito;
Que só se deve dar conselho em duas ocasiões: quando é pedido ou quando é caso de vida ou morte;
Que quanto menos tempo tenho, mais coisas consigo fazer...

William Shakespeare

Dicas para andar na moda com pouca grana

1- Pegue um filhote de lagartixa, de preferência bem verdinho.
2- Com o ferro, passe a lagartixa em uma camisa gola polo.
3- Pronto! Já pode sair e impressionar as gatinhas...hehe.