13 de out de 2009

Perdão – Reconciliação – Restauração...

Fomos chamados para o ministério de Reconciliação...( II Coríntios 5.18,19), mas o que nos leva muitas vezes a ferirmos pessoas, destruirmos relacionamentos e estragarmos a vida? Muitos fatores contribuem para que isto ocorra.

Estejamos certos que somos seres únicos, dotados de uma personalidade, um caráter, vontades, opiniões formadas ou não, formas de encararmos certas coisas, maneira de falar, agir, enfim...somos diferentes um dos outros. Deus nos fez assim! Em algumas coisas talvez nos encaixemos, como gostos iguais, até mesmos objetivos parecidos, mas cada pessoa tem uma individualidade somente sua...por isso mesmo às vezes certos temperamentos se chocam e principalmente quando o egocentrismo, o orgulho e a mania esquisita da auto suficiência tomam de conta. Precisamos entender nossos limites, mas também buscar entender o de outrem. Somente dessa forma poderemos viver e conviver com as nossas individualidades sem machucar ou humilhar qualquer pessoa que seja.

Em um casamento, parceiros sempre ferirão um ao outro. Ferir é inevitável. O que distingue os bons matrimônios dos problemáticos é como os casais se reconciliam depois das feridas inevitáveis e se o fazem com eficácia. Se existe o perdão em meio as diferenças, os atritos, as divergências que por um momento poderão fluir... O perdão constitui um passo fundamental na jornada rumo à reconciliação.

Reconciliação significa reconstruir a confiança depois de uma violação de confiança. A confiança é reconstruída quando ambas as partes evidenciam um comportamento amoroso e confiável. O que é que leva a pessoa a parar de se sentir magoada e estar pronta para agir com amor?
Duas coisas: por um lado, a pessoa que infligiu o ferimento precisa sinalizar que está entregando as armas, amolecer o coração, mostrar-se vulnerável.
Por outro lado, a que sofreu o ferimento tem de sinalizar que se distancia da vingança, abdicar do isolamento e da separação, e abrir o coração para o agressor. Podemos com isto dizer que para se alcançar a restauração de um relacionamento, ambos precisam tornar-se peritos tanto em confessar quanto em perdoar. Há sempre tempo para o perdão e a reconciliação...

Pensamento: "A dureza do coração é muito pior do que a decepção, e é um poderoso destruidor de relacionamentos". Dr. Henry Cloud


Texto extraído e adaptado do site www.devocionais.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário