26 de jan de 2010


Levantei-me para abrir-lhe a porta; minhas mãos destilavam mirra, meus dedos vertiam mirra, na maçaneta da tranca;
Eu abri, mas o meu amado se fora; o meu amado já havia partido.

Quase desmaiei de tristeza!
Procurei-o, mas não o encontrei.
Eu o chamei, mas ele não respondeu... :(

Cânticos dos Cânticos . 5. 5,6. (NVI)

Nenhum comentário:

Postar um comentário