22 de out de 2011

Não perdi nada


Muitas vezes ficamos aflitos, mas não somos derrotados. Algumas vezes ficamos em dúvida, mas nunca ficamos desesperados. Temos muitos inimigos, mas nunca nos falta um amigo. Às vezes somos gravemente feridos, mas não somos destruídos. Levamos sempre no nosso corpo mortal a morte de Jesus para que também a vida dele seja vista no nosso corpo. (2 Coríntios. 4:8-10) 

Todos nós passamos por algum tipo de perda em algum momento. 

Às vezes, perdemos uma amizade,
por causa de uma frase. 
Perdemos um amor,
por falta de uma flor. 

Às vezes, perdemos um casamento,
por causa de um mal comportamento. 
Do filho o carinho,
por causa do seu descaminho. 

Às vezes, perdemos uma pessoa querida,
por causa da sua partida. 
Perdemos uma vida,
por causa de uma ferida. 

Às vezes, perdemos um emprego,
por causa de um desapego. 
Perdemos um bem,
por causa de um desdém. 

Às vezes, perdemos a reputação,
por não cumprirmos uma obrigação. 
Perdemos um irmão,
por falta de um perdão. 

Às vezes, perdemos a paz,
por não ser capaz 
De encontrar uma saída,
que a todos satisfaz. 

Qualquer que seja a perda, a verdade é que ela dói. Em muitos casos, tão grande é o sentimento, que mais se parece perder o coração. A respiração, em vez de aliviar, acaba por sufocar. O momento, em vez de agradar, parece não passar.
Será que algum dia, depois de tanta perda, acaba-se por entender que a perda, qualquer que seja, é um lembrete de que nada se perde, pois nada se tem? Que tudo que se tem é emprestado? Aliás, Deus é o único bem que o homem pode ter. Definitivamente, nada, absolutamente nada pode tomar o Seu lugar.

Essa é a verdadeira lição que muitas pessoas professam tirar depois de passarem por perdas em suas vidas. É muito bom saber que Deus é quem rege a grande sinfonia dos acontecimentos. Ele é o Soberano maestro. Para nós, a sinfonia parece desafinada. Mas para Deus, tudo se encaixa em mais perfeita harmonia.
Ele não está limitado ao tempo e dá direção ao vento.
Ele conhece o amanhã, que certamente será um novo tempo. 

Você pode estar passando por um momento de perda. Digo a você, com toda sinceridade, que o melhor lugar para seu refúgio são os braços do Pai. Neles, você pode se deleitar no conforto da Sua Palavra.

Jó – homem que chegou a possuir tudo que a vida terrena era capaz de oferecer – após saber que havia perdido tudo, chegou à conclusão que não havia perdido nada. Ele simplesmente lembrou que veio para esse mundo sem nada e então se ajoelhou, encostou o rosto no chão e adorou a Deus. Aí disse assim: — Nasci nu, sem nada, e sem nada vou morrer. O Senhor deu, o Senhor tirou; louvado seja o Seu nome! Assim, apesar de tudo o que havia acontecido, Jó não pecou, nem pôs a culpa em Deus. (Jó 1:20-22).

Após esse seu reconhecimento, Jó recebeu de Deus em dobro tudo que ele havia perdido. No mundo inteiro não havia homem mais abençoado do que Jó. Jó ainda viveu mais cento e quarenta anos, o bastante para ver netos e bisnetos. Deus abençoou a última parte da vida de Jó muito mais do que a primeira. Tudo porque ele louvou o nome de Deus.
E você? Quer ser abençoado como Jó? Reconheça agora que tudo que você tem vem dEle e é para Ele. 

Fonte: Devocionais/Elbem César

Nenhum comentário:

Postar um comentário