2 de jul de 2011

Eis as Características do Amor

I Coríntios 13
"Este amor de que estou falando demora a perder a paciência - ele busca de um modo ser construtivo. Não é possessivo, não está preocupado em impressionar, nem acalenta idéias exageradas sobre sua própria importância.
O amor comporta-se bem e não busca vantagem própria. Não é melindroso. Não guarda ressentimento nem se alegra com a infelicidade das outras pessoas. Pelo contrário, participa da alegria dos que vivem de acordo com a verdade.
O amor não conhece limites para a sua paciência, fim para sua confiança nem enfraquecimento de sua esperança; ele é capaz de superar tudo. O amor jamais acaba".

1) O amor é sofredor(v.4). Tem uma grande capacidade de suportar provas, adversidades, provocações. Nenhum sofrimento pode destruir o amor.
2) O amor é benigno(v.4). Cheio de compaixão, de ternura, pronto e disposto a servir em todas as situações. Reage com bondade aos que o maltratam.
3) O amor não é invejoso(v.4). Não se importa se outros recebem maiores bênçãos físicas, materiais, intelectuais e espirituais. Alegra-se com as bênçãos do próximo.
4) O amor não se vangloria(v.4). Não chama a atenção para si mesmo. Não faz questão de ser notado. Dedica toda a glória a Deus.
5) O amor não se ensoberbece(v.4). O amor é humilde. De maneira penas ou age movido pelo orgulho. Não se enche de importância porque sabe o que é e tem deve a Deus e aos outros.
6) O amor não se porta inconvenientemente(v.5). Não age fora do decoro. Está sempre comprometido com a decência. Tem um caráter reto, puro, tem uma reputação ilibada.
7) O amor não busca os seus interesses(v.5). Interessa-se pela situação espiritual, moral, física e material do próximo. "Não é cristão aquele que se preocupa só com a sua felicidade, sem se importar como anda o mundo a sua volta".
8) O amor não se irrita(v.5). Não perde o equilíbrio = não está predisposto a se ofender. Não dá lugar a provocação.
9) O amor não suspeita mal(v.5). O amor está sempre pronto a pensar o melhor das pessoas e não lhes imputa o mal. Não julga o próximo. Não atribui más intenções à ação do próximo. Dá-lhe crédito, e procura confiar nele.
10) O amor não se alegra com a injustiça(v.6). O amor não se alegra com nenhuma espécie de mal. Não tem prazer se algum mal desaba sobre o próximo, especialmente se é vítima da injustiça.
11) O amor alegra-se com a verdade(v.6). Sente um prazer quando a verdade e a justiça estão imperando. O amor regozija-se na verdade de Deus, na verdade do evangelho. O amor participa da alegria da verdade.
12) O amor tudo sofre(v.7). A palavra traduzida como sofrer pode significar também cobrir. O amor puro inspirado por Deus cobre tudo o que deve ser coberto. Não trai segredos, e desculpa as faltas dos outros dentro do que é lícito desculpar. O amor não recua facilmente = agüenta.
13) O amor tudo crê(v.7). Está sempre disposto a levar em conta as circunstâncias e a ver nos outros o melhor. Acredita e confia no próximo, só mudando sua opinião, se uma prova positiva das más intenções do próximo acontecer.
14) O amor tudo espera(v.7). Quem ama tem sempre a esperança de que a pessoa amada pode melhorar. Não espera passivamente, mas toma providências para ajudar na melhora do próximo.
15) O amor tudo suporta(v.7). O amor não se deixa vencer, mas a sua parte, varonilmente, sejam quais forem as dificuldades. É paciente e tem tranqüilidade suficiente para enfrentar as aflições sem desespero.
16) O amor jamais acaba(v.8). O amor não acaba nem cessa, jamais falha. Tem existência eterna. 
É o amor de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário